Contexto Social

A realidade que envolve todo o Centro de Promoção Social Bororé, localizado na Zona Sul de São Paulo, Grajaú, no Jardim Lucélia, é de extrema carência. Existem muitas favelas, becos, cortiços e o esgoto é a céu aberto. O índice de violência, causado pela pobreza e pelo tráfico de drogas, é altíssimo, devido ao desemprego e à marginalidade nesta região.

O número de crianças e adolescentes pobres aumenta a cada dia mais. Segundo o “Mapa da vulnerabilidade social e do déficit de atenção a crianças”, realizado em acordo entre o CEM-CEBRAP e a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, SMADS-PMSP, essa região é muito populosa e tem grande número de pessoas morando em favelas, ocasionando quantidades crescentes de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social (abandono, vivência nas ruas, violência, tráfico de drogas, situação de miséria, abusos), e a grande maioria vive na ociosidade e sem estímulo para mudança. É uma região caracterizada por chefes de família de idade média de 38 anos, com baixa renda (60,4% e em áreas mais críticas apenas 75,9% ganham até 3 salários mínimos) e baixa escolaridade (apenas 31,5% dos chefes de família têm ensino fundamental completo; em alguns lugares este índice cai para 19,1%). Apresenta ainda grande concentração de crianças de 0 a 4 anos e forte presença de adolescentes (11,2% da população do grupo têm entre 15 e 19 anos).

 

contexto_social_01contexto_social_02contexto_social_03contexto_social_04